Vanessa Jost, 38 anos, paranaense, mãe de três filhos por fertilização in vitro, sendo dois autistas, na política por plena paixão e entrega às suas lutas.

- Quando decidi ser mãe, precisei da ajuda da medicina para realizar esse sonho e entendi que muitas mulheres passam por essa dificuldade. Foi então que criei uma ONG, a Gestar, a fim de ajudar na viabilização desse sonho.

Mas precisamos que a política pública olhe para nós com mais zelo e atenção.

Além disso, meus filhos autistas me movem a ir além na luta pela inclusão da causa deles,social e educacionalmente. Pelo direito de sonhar com a maternidade, pelo cuidado e direitos das crianças portadoras de necessidades especiais, pela atenção com a saúde da mulher, dentre outras causas, entendi que é no Congresso Federal o meu lugar.


Posso contar com você?

 

Principais propostas de campanha:

Principais propostas de campanha:

Mais do que um lugar na política, quero um lugar para ser ouvida. Um lugar para que as causas em que eu acredito e pelas quais eu luto também tenham seu espaço, sua voz, sua representatividade. Que a realização do meu sonho - e meu maior incentivo - seja um impulso para realização de muitas outras famílias. Eu conto com vocês para aumentarmos o alcance dessa voz!

Abraçando suas causas com intensidade por conta de suas próprias vivências, Vanessa acredita nas oportunidades que podemos criar, principalmente àqueles que essas oportunidades parecem não chegar. São mulheres que sonham em ser mães e precisam da ajuda da medicina - para tantos inacessível - para alcançar esse sonho. Essas mulheres, muitas vezes compartilham de problemas de saúde como endometriose, dentre outros, e precisam de atenção e cuidados na saúde pública.

A inclusão na educação e no âmbito social diário dos portadores de deficiências, em especial dos autistas, também é sua bandeira. Seu propósito é que a mesma não seja tratada apenas como uma doença, mas sim como diferença que merece ser acolhida.

Em geral, acredita que se lutarmos juntos para passar por cima dessas dificuldades que ainda existem, com representatividade, sensibilidade, confiabilidade e cuidado com o próximo, pode-se alcançar uma sociedade mais humana e justa.